Abas

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Entrevista com Edi (18/09/2018)




Edinei Aparecida Sanches ou simplesmente Edi como gosta de ser chamada, nasceu na cidade de Olímpia em São Paulo em 23 de abril de 1945. Viúva faz 10 anos foi casada com Augusto Sanches. Tem duas filhas: Kellen Regina Sanches, Cátia Cilene Sanches também, Lavínia, sua netinha, que segundo a Edi é a alegria da casa e seu genro Marcelo. Trabalhadora da Fraternidade Irmã Dolores desde 2002, exerce diversas atividades: coordenadora de estudos, atendimento fraterno, palestrante, fez também parte da Diretoria. Personalidade alegre, animada, espontânea e contadora de “causos”; faz com que nos sintamos mais motivados para o conhecimento da Doutrina Espírita. Nosso grande agradecimento pelo trabalho que realizou e continua realizando nesta Casa.

1) FID – Edi, conte um pouco de sua vida quando era criança, especialmente relacionado a Espiritualidade.


Quando criança, morava em um sítio e sofria com a mediunidade sem saber. Ouvia batidas, móveis arrastando, janela batendo, até o berço balançava. Sofria dores de cabeça violentas, remédios não resolviam. Foi uma infância muito difícil. Aos 12 anos, viemos para São Paulo, morávamos nos fundos da Igreja Nossa Senhora do Pilar. Fui criada com os ensinamentos do catolicismo. As dores de cabeça continuavam fortes chegando, algumas vezes ,a desmaiar.  O padre acabava me benzendo e me sentia melhor. Foi um martírio até os 19 anos, quando o Frei Flávio me disse: “ Filha, não adianta, seu lugar não é aqui! Procura um centro espírita, vai melhorar!”.

2) FID - Fale-nos como foram seus primeiros envolvimento com a Doutrina Espírita.


Fui procurar um centro, depois que o Frei me aconselhou, eu não conhecia nada de mediunidade e acabei num centro de Umbanda. Lá me disseram que precisava trabalhar, mas tinha medo . Fui a igrejas evangélicas, onde expulsavam o demônio, até que achei um centro kardecista e foi então que meus caminhos começaram a se abrir, após trabalhos de doutrinação, tive o conhecimento dos fundamentos da doutrina, o que eram espíritos obsessores, por exemplo. Ao conhecer o Augusto, meu marido, comecei a entender e me desenvolver cada vez mais levada pelo cunhado do Augusto que era kardecista. Estava na época com 27 anos.

3) FID – Quando chegou a Fraternidade Irmã Dolores e como eram os estudos naquela época?

Morava em Londrina, no Paraná. Cheguei em São Paulo no ano de 2002. Cheguei à FID por indicação. Na época, estudavam o Livro dos Espíritos e eu vim conhecer. Confesso, não gostei do método! Em Londrina, no Centro Espírita Nosso Lar, os estudos eram mais dinâmicos, na FID não era assim. Ficavam, às vezes, uma aula inteira discutindo uma única questão , não me acostumei , e saí do estudo, mas resolvi participar do grupo público, com Ancila e o Sr. Pedro, às terças-feiras.

4) FID – O que trouxe de novidade para dinamizar mais os estudos, quem a inspirou a mudar o método de estudo?

Estudávamos muito no C.E. Nosso Lar em Londrina, Eu tinha todas as apostilas. Na época, o Sander era do departamento doutrinário e eu apresentei a ele as apostilas. Propus tentarmos implantar aquele tipo de estudo, mais dinâmico. Aceitaram a sugestão e implantamos o estudo do ESDE. Começamos um grupo dia 27/03/04 e foi até 29/07/06. Daniel Saes sugeriu o nome do grupo de “Leon Denis” e todos concordaram. Quem me inspirou a mudar o método foi: Astolfo Olegário de Oliveiro quem considero meu mestre. Grande trabalhador e colaborador da doutrina em Londrina. Astolfo é diretor de redação do site espírita” O Consolador” e participante ativo em vários outros meios de divulgação da doutrina de Kardec.

5) FID – Há integrantes dos grupos de Estudos desde o início? Poderia citar alguns nomes?

Sim, vários integrantes que estão desde o início: Elenice Augusto, Liamar, Zuleide, Sylvio Escada, Jaciara, Ana, Cida Massari, Carlos, Roberto, Elisabete Córdova. Todos fizeram as obras básicas. Eram 29 pessoas. De 2006 pra cá já teve muita gente, porque as pessoas podiam estudar sem precisar fazer iniciação. Todos são importantes, não haveria estudos sem eles.

Alguns dos integrantes do grupo de estudo desde o início em 2004: Anastácia, Gabriela, Elisabete, Elenice, Alice, Edi, Kellen, Marisa, Cida, Inês, Liamar, Jaciara, Ivan, Cláudio, Sílvia Regina, Sylvio e Flávio.


6) FID – Como você faz para montar as apostilas?

Escolho o livro pelo espírito que psicografou. A medida que vou lendo, formulo as perguntas procurando não espaçar muito as questões para forçar os estudantes a ler o livro na íntegra. Tenho, graças a Deus, muita intuição na formulação das questões de livros mais difíceis de compreensão. Fico feliz, pois o pessoal estuda mesmo! Hoje, estamos estudando a Revista Espírita 1858 e está dando certo este método e servindo também a outros grupos.

Grupo de estudo de sábado com os participantes: Edi, Flávio, Pedro, Mileide, Sylio, Liamar, Alice, Inês Marin, Cida Massari e também Inês Genaro e Sandra.




7) FID – Qual a importância de estudar a Doutrina Espírita para o desenvolvimento do ser humano?

A Doutrina espírita é esclarecedora, ajuda a entender nossas dificuldades nessa encarnação, a ter paciência com as pessoas de nosso convívio  e com aqueles que por algum motivo cruzam o nosso caminho. A doutrina nos ensina a moral cristã: que devemos fazer ao outro o que queremos para nós, porque existe a lei do retorno. Acredito que o ser humano que cresce na doutrina espírita consegue enxergar mais claramente o certo e o errado, somos seres em evolução. Temos que agradecer a Deus pela oportunidade de estarmos envolvidos com a Doutrina.

8) FID – Faça suas considerações finais.

Como espíritas sabemos o quanto somos imperfeitos, o quanto ainda temos para aprender. A cada dia, dou graças a Deus por poder fazer parte dessa grande família que é o Kardecismo. Dentre tantas coisas pelas quais já passei, aprendi e aprendo todos os dias. Cada um de nós é importante na grande obra de Deus e cada um de nós tem o seu tempo certo de entendimento e oportunidades de aprendizagem na grande escola da Terra.

Grupo de estudos de terça - feira Leon Denis. Coordenadora: Edi. Participantes: Beatriz, Cida Massari, Eliana, Flávio, Magali, Magda, Sílvia Carvalho, Sílvia Regina, Sônia e Willians. Grupo criado em 06/05/2013.


Nenhum comentário:

Postar um comentário